Notícias

É possível 100% de proteção dos muros contra invasão de bandidos?



09.07.15 - Doutor Jorge Lordello

De forma inesperada, audaciosa e inovadora, bandidos invadiram condomínio com mais de 400 casas de alto padrão em Santana do Parnaíba/SP. Realizaram assalto e fugiram sem serem notados pelo corpo de segurança! No primeiro domingo de outubro/2012, por volta das 17h30, duas residências foram invadidas e as famílias moradoras, mediante uso de armas de fogo, amarradas, amordaçadas e ameaçadas de morte.

Os ladrões roubaram dinheiro, jóias, relógios e equipamentos eletrônicos de pequeno porte. Mas por onde o grupo criminoso entrou e saiu sem ser visto por ninguém em plena luz do dia? A estratégia foi cavar buraco por baixo do muro. Assim, não precisaram correr risco de se cortar caso transpusessem o equipamento de aço espetante (concertina) ou disparar o alarme da cerca sensoreada.

Portanto, a penetração não se deu por sobre o muro e nem através de buraco na alvenaria, mas cavando pequeno túnel. Conversei, recentemente, com gerente de segurança, que estava intrigado com presença de cachorro vira lata de grande porte que passara a viver no condomínio de casas onde trabalha, que, por sinal, situa-se na mesma região do crime que narramos. Como não pertencia a nenhum condômino e também não podia ter adentrado pela portaria 24h, os funcionários do local tentaram capturá-lo por várias vezes, mas não obtiveram êxito em razão da rapidez e agilidade do animal. Resolvemos examinar todo perímetro do condomínio, que possui muros com mais de 3m de altura. Localizamos buraco junto à alvenaria para escoamento das águas em caso de fortes chuvas.

Na verdade, ao percorrermos toda muralha, encontramos 7 pequenos buracos em áreas de declive. Provavelmente, por um desses locais o cão invadiu. A solução para minimizar o risco de invasão, nesse caso, foi instalação de resistentes gradis para obstrução dos buracos, mas que permitem a passagem das águas das chuvas. Para a detecção eletrônica de ruptura de cercas e alambrados, e até vibração em muro que esteja sendo danificado, temos os chamados “cabos microfônicos coaxiais”.

Na maioria dos condomínios, as residências não possuem muros, por isso a penetração nas unidades é extremamente fácil. É comum, ainda, moradores deixarem portas, janelas e carros abertos. Poucas famílias instalam alarmes em suas casas. Por outro lado, já visitei condomínio onde os lares são murados como se estivessem em via pública. O fato de morar em local totalmente murado, com portaria que controla o acesso de pessoas, veículos e mercadorias, rondas motorizadas e vigilantes armados, não isenta moradores de tomar medidas próprias de ordem preventivas, tanto em relação a procedimentos seguros no cotidiano, como quanto a investimentos em alarmes, câmeras de segurança, fechaduras e portas resistentes e etc. Indicamos que as residências possuam botões de pânico fixos e móvels, para comunicação imediata com central de segurança do condomínio, para pronta averiguação, em caso de atitude que levante suspeita ou detecção de intrusão de estranhos.

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.